Lançado ReactOS 0.3.12, com várias melhorias internas

Lançado ReactOS 0.3.12, com várias melhorias internas

Depois de quase um ano da última versão, foi publicada uma nova compilação do ReactOS: versão 0.3.12. Em estágio alpha, para variar. Há muito trabalho pela frente.

Como muitos sabem, o ReactOS tenta ser um sistema operacional open source compatível com o Windows NT (e toda a linha evoluída, o que inclui 2000, XP, 2003, e depois o Vista, 7…). Em vez de emular um modo de execução com traduções da API do Windows, ele recria toda a estrutura, tentando responder da mesma forma que o Windows responderia aos executáveis.

Essa versão, apesar de estar bem longe de um produto utilizável no dia-a-dia, mostra grandes avanços. O pessoal trabalhou bastante no desenvolvimento do kernel, otimizando o gerenciador de memória, relação com ACPI, compatibilidade com instruções PnP, EMS, PCI-X, SxS, entre outras coisas. Há até uma “tela vermelha da morte” que ajuda a detectar e identificar erros de hardware, situações em que o sistema geralmente travaria sem dar um aviso (embora não esteja implementada para todos os casos). Aliás, vale a pena comentar, dá para dizer que 99% dos casos de tela azul no Windows são problemas de hardware (ou no driver, que tem ligação íntima com o hardware). Quando dá uma tela azul todo mundo mete o pau no sistema mas não pára pra pensar no motivo, que na maioria das vezes é causado por terceiros (fabricantes de hardware ou drivers, ou intempéries, como por exemplo o ato fictício de remover uma placa de expansão com o micro ligado).

O anúncio lista várias das alterações e o changelog traz detalhes mais técnicos. Há um trabalho para compilação de 64-bit, ainda bem inicial mas interessante, já que não poderão criar um sistema operacional exclusivamente para uma arquitetura que aos poucos tende a ser ultrapassada.

As grandes mudanças no subsistema Win32 aparentemente ainda são experimentais, não foram citadas explicitamente nessa versão (na verdade pode-se dizer que o ReactOS como um todo é experimental :P).

O trabalho foi grande já que boa parte do kernel foi reestruturado, mas o programa ainda não está tão bom para uso geral, e em alguns ambientes pode travar ou não ser executado com sucesso. Pelo lado positivo, 259 bugs foram corrigidos, sendo 61 deles regressões da versão 0.3.7. 10 bugs corrigidos tinham mais de 3 anos, e o mais velho (número 969) estava pendente há 5 anos.

Os produtores esperam que um dia o sistema seja funcional, que possa rodar nativamente boa parte dos programas feitos para Windows (incluindo drivers de dispositivos). É um trabalho duro, mas interessante.

Sobre o Autor

Redes Sociais:

Deixe seu comentário

X